sexta-feira, 15 de abril de 2016

Yamaha C80 (Diário de compra).


Olhando as anotações do meu diário vi que toquei um violão no stand da Yamaha no Shopping Palladium em 14 de junho de 2013 e que tinha achado aquele um bom violão. Quis saber os preços, mas o atendente do stand não desenvolveu a conversa. Na época estava sentindo que precisava de um violão, eu vinha compondo alguns temas instrumentais já a algum tempo, mas não havia direcionado meus esforços para esse caminho, por que em determinado momento da minha vida na música percebi que não haveria carreira e tive uma crise de identidade como músico.

Com a chegada da maturidade e sem necessidade de agradar o mercado retomei minhas composições para violão instrumental e desenvolvi os Estudos nº 1 e nº 2. Uma das coisas que procurei fazer nessa nova etapa foi dar sequência as atitudes, ou seja, o que eu poderia fazer além de compor os Estudos? Pensei em duas coisas: Escrever as partituras e gravá-las.

Fui desenvolvendo o trabalho da escrita, mas o que queria mesmo era gravar. As primeiras gravações aconteceram em 20 de fevereiro de 2014 com o velho Giannini que estava comigo há quase 20 anos. Nessas gravações um dos produtores do estúdio me disse: Você precisa de um violão novo. Eu sabia, mas também sabia que o que eu estava fazendo não me levaria a nenhuma sala de concerto, portanto, as coisas poderiam esperar. Mesmo por que eu tinha ido atrás daquele Yamaha em uma loja de instrumentos no mesmo Shopping, mas eles não trabalhavam com a marca. Testei alguns outros e fiquei de voltar. Passei em outra loja em outro Shopping, testei mais outro e por fim voltei a primeira em outro dia, testei um pouco mais outro instrumento e pensei: Melhor esperar.

Voltando a pensar no que eu poderia fazer além, ou seja, já tinha composto e gravado os Estudos, e agora? Se eu quisesse evoluir como músico precisava tocar peças mais complexas, seguindo esse caminho do violão instrumental. Foi aí que entraram as músicas do Waltel Branco.

Para tocar as músicas do Seu Waltel precisava voltar a fazer aulas de violão em uma escola porque eu tinha as partituras, mas não conseguia tocar o que estava escrito. Voltei a fazer aulas de violão no dia 24 de fevereiro de 2014. A medida que as aulas foram se sucedendo fui conseguindo executar as músicas escolhidas (nem todas do Seu Waltel), depois pegava ia ao estúdio e registrava, uma por vez. Aos poucos fui montando um repertório. Essas músicas acabaram se tornando uma Mixtape que lancei em fevereiro de 2015.

Nesse tempo que fiquei na escola (pouco mais de um ano) descobri que uma amiga também tocava violão instrumental e começamos a trocar impressões, gravações e partituras. Mostrei algumas músicas pra ela e ela outras pra mim. Numa dessas ocasiões reparei que o seu violão era um Yamaha. Conversamos mais um pouco e trocamos mais impressões. Depois ponderei: É hora de comprar o meu Yamaha.

Yamaha C80 foi comprado em 22 de fevereiro de 2016.

Nenhum comentário:

Postar um comentário